Welcome!

Search Authors: Jnan Dash, Shelly Palmer, Carmen Gonzalez, Lori MacVittie, Liz McMillan

News Feed Item

TSYS vai adquirir a NetSpend

A TSYS® (NYSE: TSS), uma líder global fornecedora de soluções de pagamento, e a NetSpend (NASDAQ: NTSP), fornecedora líder de cartões de débito pré-pagos recarregáveis de uso geral – o GPR – e de outros serviços financeiros para consumidores sem conta bancária nos Estados Unidos, anunciaram hoje que firmaram um contrato definitivo no qual a TSYS irá adquirir a NetSpend em uma transação à vista no valor de aproximadamente US$ 1,4 bilhão. Sob os termos do contrato, os acionistas da NetSpend receberão US$ 16,00 em dinheiro por cada ação ordinária da NetSpend. A TSYS espera que a operação seja um acréscimo ao PCGA de ganho por ação para o primeiro período de 12 meses após o fechamento, excluindo taxas únicas de aquisição e despesas relacionadas.

A extensa rede de distribuição da NetSpend oferece aos consumidores a possibilidade de comprar cartões de débito pré-pagos em mais de 62.000 estabelecimentos comerciais de distribuição, como varejistas, empresas de troca de cheques, lojas de conveniências, padarias, seguradoras, preparadores fiscais e muitos outros. É também uma das principais fornecedoras de soluções de cartões corporativos salariais, e tem um canal de distribuição direto que alcança os consumidores por meio de fontes de marketing direto, online e dispositivos móveis. A NetSpend atende atualmente mais de 2,4 milhões de contas, 46% das quais são contas de depósito direto, com mais de 500 distribuidores de varejo e mais de 130.000 locais de recarga.

“A aquisição da NetSpend é realmente um evento de transformação para a TSYS e para os consumidores em geral. Isto nos permite atender nossos objetivos estratégicos de diversificar nossos negócios, sendo uma fornecedora mais inovadora de soluções e pagamentos e expandindo o nosso papel dentro de uma área de pagamentos que deve crescer a uma taxa anual de 20% nos próximos quatro anos*. A aquisição também complementa a nossa já forte presença no mercado de processamento pré-pago”, disse Philip W. Tomlinson, presidente do conselho e diretor executivo da TSYS. “Ao adquirir a NetSpend, ganhamos uma equipe de liderança com experiência profunda em pré-pagos, uma empresa com tecnologia escalável e uma oferta de produtos diferenciados, personalizados para os parceiros e canais que atendem. A missão da NetSpend é trazer aos consumidores a conveniência, segurança e liberdade para serem seus próprios bancos, e essa promessa se ajusta com a abordagem da TSYS de pagamentos centrados nas pessoas, que se espera adicionar capacidades significativas em termos de crescimento da receita futura para nossas empresas.”

“Com a força e os recursos da TSYS, nossas possibilidades são infinitas”, disse Dan Henry, diretor executivo da NetSpend, que fará parte da equipe executiva da TSYS. “Eu não consigo imaginar uma líder melhor posicionada no setor que possa nos ajudar a levar a NetSpend para o próximo nível. Trazemos um negócio significativo e de rápido crescimento para a TSYS, e seremos capazes de oferecer nossos produtos e serviços exclusivos para os consumidores sem conta bancária de forma mais ágil do que nunca. Construímos uma equipe tão incrível aqui na NetSpend, e estamos empolgados por ser a mais nova adição à TSYS.”

A transação deverá ser concluída em meados de 2013, sujeita a aprovações regulatórias, à aprovação pelos acionistas da NetSpend e às condições habituais de fechamento.

*Fonte: First Annapolis Consulting

Assessoria financeira e jurídica

A Houlihan Lokey está atuando como assessora financeira exclusiva, e a King & Spalding está atuando como assessora jurídica da TSYS em relação à transação. A BofA Merrill Lynch está atuando como assessora financeira exclusiva, e a Fried Frank está atuando como assessora jurídica da NetSpend.

Detalhes da teleconferência

As gerências da TSYS e da NetSpend vão discutir a aquisição em uma teleconferência no dia 19 de fevereiro de 2013, às 18h no horário da costa leste. A TSYS publicou uma apresentação em slides relacionada a essa transação na seção de relações com investidores de seu site, www.tsys.com, na guia “Investidores” e “Webcasts and Presentations”.

Sobre a NetSpend

A NetSpend é uma fornecedora líder de cartões de débito pré-pagos recarregáveis de uso geral e serviços financeiros relacionados para os cerca de 68 milhões de consumidores nos Estados Unidos que não têm uma conta bancária tradicional ou que dependem de serviços financeiros alternativos. A missão da empresa é desenvolver produtos e serviços que tragam aos consumidores a conveniência, segurança e liberdade para serem seus próprios bancos. Sediada em Austin, Texas, a NetSpend é comercializada no índice NASDAQ sob o símbolo NTSP. Visite http://www.netspend.com para obter mais informações.

Sobre a TSYS

Na TSYS (NYSE: TSS), acreditamos que os pagamentos devem girar em torno das pessoas - e não o contrário. Chamamos essa crença de “Pagamentos centrados em pessoasSM”. Ao situar as pessoas no centro de cada decisão que tomamos, com serviços de atendimento ao cliente e percepção de segmento incomparáveis, a TSYS oferece suporte a instituições financeiras, negócios e governos em mais de oitenta países. Ao oferecer soluções de aceitação de pagamentos no comércio e serviços de crédito, débito, pré-pago, móveis, chip e assistência à saúde, entre outros, fazemos com que as pessoas do mercado global conduzam transações eletrônicas de forma segura, com confiança e conveniência.

A sede da TSYS localiza-se em Columbus, na Geórgia, com escritórios localizados nas Américas, Oriente Médio, África, Europa e Ásia-Pacífico. A TSYS oferece serviços para mais da metade dos vinte maiores bancos internacionais, é uma empresa Fortune 1000 e foi indicada como uma das empresas mais éticas do mundo de 2012 pela revista Ethisphere. Para mais informações, acesse www.tsys.com.

Declarações prospectivas

Este comunicado de imprensa contém certas declarações identificadas como “declarações prospectivas” dentro dos significados da Lei de Valores Mobiliários de 1933 e da Lei da Bolsa de Valores de 1934, conforme alterada pela Lei de Reforma de Litígio de Títulos Privados de 1995. Essas declarações prospectivas incluem, entre outras, declarações sobre os benefícios esperados de uma combinação potencial entre a TSYS e a NetSpend, incluindo o impacto esperado sobre os lucros da TSYS, a taxa de crescimento esperada da indústria de GPR, o impacto positivo esperado sobre o crescimento de receitas futuras e o tempo esperado para o fechamento da aquisição. Essas declarações prospectivas podem ser identificadas pelo uso de termos como “esperado”, “antecipado”, “acredita-se”, “estimado”, “potencial”, “deveria” ou palavras semelhantes destinadas a identificar a informação que não é histórica por natureza. Essas declarações são baseadas nas crenças e expectativas atuais da TSYS e na gestão atual da NetSpend, conforme aplicável, e estão sujeitas a riscos conhecidos e desconhecidos e a incertezas. Não há garantia de que a transação em potencial será consumada, e há uma série de riscos e incertezas que podem causar resultados reais que diferem materialmente daqueles contemplados pelas declarações prospectivas, incluindo, mas não limitado às partes serem incapazes de obter as sinergias e eficiências operacionais na fusão dentro dos prazos esperados ou em um todo integrar com sucesso as operações da NetSpend nas da TSYS; essa integração pode ser mais difícil, demorada ou custosa do que o esperado; receitas na sequência da transação podem ser menores do que o esperado; custos operacionais, perda de clientes e interrupção de negócios (incluindo, sem limitação, dificuldades em manter relacionamentos com funcionários, clientes ou fornecedores) podem ser maiores do que o esperado após a transação; a retenção de certos funcionários-chave na NetSpend; a ocorrência de qualquer evento, alteração ou outras circunstâncias que poderiam dar lugar à rescisão do contrato de fusão; o resultado de qualquer processo judicial que possa ser proposto contra as partes e outros relacionados com o contrato de fusão; aprovação dos acionistas ou de outras condições para a conclusão da transação não poderem ser satisfeitas, ou as aprovações regulatórias necessárias para a transação não poderem ser obtidas nos termos esperados ou no cronograma previsto; falha na conclusão das operações de financiamento contempladas para financiar o preço de compra ou outros custos e despesas da fusão; o montante dos custos, taxas, despesas e encargos relacionados com a fusão e as operações de financiamento necessárias para completar a fusão; e a capacidade das partes para atender as expectativas em relação aos tratamentos de conclusão, tempo, contábil e tributário da fusão. Para obter mais informações sobre os riscos associados com os negócios da TSYS e da NetSpend, consulte os arquivos respectivos com a Comissão de Valores Mobiliários, incluindo relatórios anuais no formulário 10-K para o ano mais recentemente encerrado, relatórios trimestrais no formulário 10-Q e relatórios atuais no formulário 8-K. As partes acreditam que essas declarações prospectivas sejam razoáveis; no entanto, confiança indevida não deve ser colocada em quaisquer declarações prospectivas, que são baseadas em expectativas atuais. Nem a TSYS nem a NetSpend assumem qualquer obrigação de atualizar quaisquer declarações prospectivas, como resultado de novas informações, desenvolvimentos futuros ou outros.

Informações adicionais e onde encontrá-las

Esta comunicação pode ser considerada como uma solicitação em relação à proposta de aquisição da NetSpend pela TSYS. Em conexão com a aquisição proposta, a TSYS e a NetSpend pretendem arquivar os materiais relevantes junto à SEC, incluindo a declaração de procuração da NetSpend no cronograma 14A. ACIONISTAS DA NETSPEND DEVEM LER TODOS OS DOCUMENTOS RELEVANTES ARQUIVADOS JUNTO À SEC, INCLUSIVE A DECLARAÇÃO DE PROCURAÇÃO DA NETSPEND, PORQUE VÃO CONTER INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE A TRANSAÇÃO PROPOSTA E RESPECTIVAS PARTES. Os investidores e detentores de títulos poderão obter os documentos (quando disponíveis), gratuitamente, no site da SEC http://www.sec.gov, e acionistas da NetSpend receberão informações no momento apropriado sobre como obter gratuitamente os documentos relacionados à transação da NetSpend. Tais documentos não estão disponíveis atualmente.

Participantes na solicitação

A TSYS e seus diretores e executivos, e a NetSpend e seus diretores e executivos, podem ser considerados participantes na solicitação de procurações de detentores de ações ordinárias da NetSpend em relação à transação proposta. Informações sobre os diretores e executivos da TSYS foram estabelecidas em sua declaração de procuração na reunião anual de acionistas de 2012, que foi arquivada junto à SEC em 15 de março de 2012. Informações sobre os diretores e executivos da NetSpend foram estabelecidas em sua declaração de procuração na reunião anual de acionistas de 2012, que foi arquivada junto à SEC em 30 de março de 2012. Os investidores podem obter informações adicionais sobre o interesse dessas pessoas, lendo a declaração de procuração referente à aquisição, quando ela se tornar disponível.

More Stories By Business Wire

Copyright © 2009 Business Wire. All rights reserved. Republication or redistribution of Business Wire content is expressly prohibited without the prior written consent of Business Wire. Business Wire shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

@ThingsExpo Stories
The 3rd International Internet of @ThingsExpo, co-located with the 16th International Cloud Expo - to be held June 9-11, 2015, at the Javits Center in New York City, NY - announces that its Call for Papers is now open. The Internet of Things (IoT) is the biggest idea since the creation of the Worldwide Web more than 20 years ago.
Cultural, regulatory, environmental, political and economic (CREPE) conditions over the past decade are creating cross-industry solution spaces that require processes and technologies from both the Internet of Things (IoT), and Data Management and Analytics (DMA). These solution spaces are evolving into Sensor Analytics Ecosystems (SAE) that represent significant new opportunities for organizations of all types. Public Utilities throughout the world, providing electricity, natural gas and water, are pursuing SmartGrid initiatives that represent one of the more mature examples of SAE. We have s...
The security devil is always in the details of the attack: the ones you've endured, the ones you prepare yourself to fend off, and the ones that, you fear, will catch you completely unaware and defenseless. The Internet of Things (IoT) is nothing if not an endless proliferation of details. It's the vision of a world in which continuous Internet connectivity and addressability is embedded into a growing range of human artifacts, into the natural world, and even into our smartphones, appliances, and physical persons. In the IoT vision, every new "thing" - sensor, actuator, data source, data con...
The Internet of Things is tied together with a thin strand that is known as time. Coincidentally, at the core of nearly all data analytics is a timestamp. When working with time series data there are a few core principles that everyone should consider, especially across datasets where time is the common boundary. In his session at Internet of @ThingsExpo, Jim Scott, Director of Enterprise Strategy & Architecture at MapR Technologies, discussed single-value, geo-spatial, and log time series data. By focusing on enterprise applications and the data center, he will use OpenTSDB as an example t...
How do APIs and IoT relate? The answer is not as simple as merely adding an API on top of a dumb device, but rather about understanding the architectural patterns for implementing an IoT fabric. There are typically two or three trends: Exposing the device to a management framework Exposing that management framework to a business centric logic Exposing that business layer and data to end users. This last trend is the IoT stack, which involves a new shift in the separation of what stuff happens, where data lives and where the interface lies. For instance, it's a mix of architectural styles ...
An entirely new security model is needed for the Internet of Things, or is it? Can we save some old and tested controls for this new and different environment? In his session at @ThingsExpo, New York's at the Javits Center, Davi Ottenheimer, EMC Senior Director of Trust, reviewed hands-on lessons with IoT devices and reveal a new risk balance you might not expect. Davi Ottenheimer, EMC Senior Director of Trust, has more than nineteen years' experience managing global security operations and assessments, including a decade of leading incident response and digital forensics. He is co-author of t...
The Internet of Things will greatly expand the opportunities for data collection and new business models driven off of that data. In her session at @ThingsExpo, Esmeralda Swartz, CMO of MetraTech, discussed how for this to be effective you not only need to have infrastructure and operational models capable of utilizing this new phenomenon, but increasingly service providers will need to convince a skeptical public to participate. Get ready to show them the money!
The Internet of Things will put IT to its ultimate test by creating infinite new opportunities to digitize products and services, generate and analyze new data to improve customer satisfaction, and discover new ways to gain a competitive advantage across nearly every industry. In order to help corporate business units to capitalize on the rapidly evolving IoT opportunities, IT must stand up to a new set of challenges. In his session at @ThingsExpo, Jeff Kaplan, Managing Director of THINKstrategies, will examine why IT must finally fulfill its role in support of its SBUs or face a new round of...
One of the biggest challenges when developing connected devices is identifying user value and delivering it through successful user experiences. In his session at Internet of @ThingsExpo, Mike Kuniavsky, Principal Scientist, Innovation Services at PARC, described an IoT-specific approach to user experience design that combines approaches from interaction design, industrial design and service design to create experiences that go beyond simple connected gadgets to create lasting, multi-device experiences grounded in people's real needs and desires.
Enthusiasm for the Internet of Things has reached an all-time high. In 2013 alone, venture capitalists spent more than $1 billion dollars investing in the IoT space. With "smart" appliances and devices, IoT covers wearable smart devices, cloud services to hardware companies. Nest, a Google company, detects temperatures inside homes and automatically adjusts it by tracking its user's habit. These technologies are quickly developing and with it come challenges such as bridging infrastructure gaps, abiding by privacy concerns and making the concept a reality. These challenges can't be addressed w...
The Domain Name Service (DNS) is one of the most important components in networking infrastructure, enabling users and services to access applications by translating URLs (names) into IP addresses (numbers). Because every icon and URL and all embedded content on a website requires a DNS lookup loading complex sites necessitates hundreds of DNS queries. In addition, as more internet-enabled ‘Things' get connected, people will rely on DNS to name and find their fridges, toasters and toilets. According to a recent IDG Research Services Survey this rate of traffic will only grow. What's driving t...
Scott Jenson leads a project called The Physical Web within the Chrome team at Google. Project members are working to take the scalability and openness of the web and use it to talk to the exponentially exploding range of smart devices. Nearly every company today working on the IoT comes up with the same basic solution: use my server and you'll be fine. But if we really believe there will be trillions of these devices, that just can't scale. We need a system that is open a scalable and by using the URL as a basic building block, we open this up and get the same resilience that the web enjoys.
Connected devices and the Internet of Things are getting significant momentum in 2014. In his session at Internet of @ThingsExpo, Jim Hunter, Chief Scientist & Technology Evangelist at Greenwave Systems, examined three key elements that together will drive mass adoption of the IoT before the end of 2015. The first element is the recent advent of robust open source protocols (like AllJoyn and WebRTC) that facilitate M2M communication. The second is broad availability of flexible, cost-effective storage designed to handle the massive surge in back-end data in a world where timely analytics is e...
We are reaching the end of the beginning with WebRTC, and real systems using this technology have begun to appear. One challenge that faces every WebRTC deployment (in some form or another) is identity management. For example, if you have an existing service – possibly built on a variety of different PaaS/SaaS offerings – and you want to add real-time communications you are faced with a challenge relating to user management, authentication, authorization, and validation. Service providers will want to use their existing identities, but these will have credentials already that are (hopefully) i...
"Matrix is an ambitious open standard and implementation that's set up to break down the fragmentation problems that exist in IP messaging and VoIP communication," explained John Woolf, Technical Evangelist at Matrix, in this SYS-CON.tv interview at @ThingsExpo, held Nov 4–6, 2014, at the Santa Clara Convention Center in Santa Clara, CA.
P2P RTC will impact the landscape of communications, shifting from traditional telephony style communications models to OTT (Over-The-Top) cloud assisted & PaaS (Platform as a Service) communication services. The P2P shift will impact many areas of our lives, from mobile communication, human interactive web services, RTC and telephony infrastructure, user federation, security and privacy implications, business costs, and scalability. In his session at @ThingsExpo, Robin Raymond, Chief Architect at Hookflash, will walk through the shifting landscape of traditional telephone and voice services ...
Explosive growth in connected devices. Enormous amounts of data for collection and analysis. Critical use of data for split-second decision making and actionable information. All three are factors in making the Internet of Things a reality. Yet, any one factor would have an IT organization pondering its infrastructure strategy. How should your organization enhance its IT framework to enable an Internet of Things implementation? In his session at Internet of @ThingsExpo, James Kirkland, Chief Architect for the Internet of Things and Intelligent Systems at Red Hat, described how to revolutioniz...
Bit6 today issued a challenge to the technology community implementing Web Real Time Communication (WebRTC). To leap beyond WebRTC’s significant limitations and fully leverage its underlying value to accelerate innovation, application developers need to consider the entire communications ecosystem.
The definition of IoT is not new, in fact it’s been around for over a decade. What has changed is the public's awareness that the technology we use on a daily basis has caught up on the vision of an always on, always connected world. If you look into the details of what comprises the IoT, you’ll see that it includes everything from cloud computing, Big Data analytics, “Things,” Web communication, applications, network, storage, etc. It is essentially including everything connected online from hardware to software, or as we like to say, it’s an Internet of many different things. The difference ...
Cloud Expo 2014 TV commercials will feature @ThingsExpo, which was launched in June, 2014 at New York City's Javits Center as the largest 'Internet of Things' event in the world.